quarta-feira, 6 de maio de 2015

Reflexões sobre o calendário do futebol brasileiro

Depois de assistir a entrevista do terceiro executivo mais importante da Bahia (há uma controvérsia sobre o executivo soteropolitano), Marcelão Miseravão Truqueiro, O Mito, Sant'ana, fiquei pensando que, fora as picuinhas políticas (que não é pouca coisa), não deve ser muito complicado fazer um calendário razoável. razoável que eu digo é que cumpra as obrigações trabalhistas, um mês de férias, e o período da tão sonhada e relegada pré-temporada, também de trinta dias.

Nas minhas contas o ano tem 52 semanas, que parece levar naturalmente a 52 domingos, dias tradicionais de jogos. Os clubes da primeira e segunda divisões (a terceira nem sei como está) jogam necessariamente 38 jogos.

Vou fazer uma pausa aqui pra dizer que essa é a parte fácil do calendário e sei disso. aqui vão entrar os clubes com grana pra bancar os deslocamentos e tal, mas a lógica deve ser parecida para todos os níveis do futebol: garantir um número mínimo de partidas no ano para todos os clubes, o que leva a necessidade dos campeonatos que envolvam os clubes serem algo rentáveis, mas relaxe.

Ok, 38 jogos, 38 domingos - calma, eu sei que não se joga apenas aos domingos - mas são 38 jogos de Liga, as copas, sejam quais forem, entram nas quartas feiras. É pouco razoável achar que serão 52 quartas feiras de jogo, então deve haver um número de quartas feiras razoável, distribuídas razoavelmente entre os domingos. Veja que as copas não incorporam o calendário mínimo, por isso vou deixá-las, de lado por enquanto.

Bom, comecei falando de férias e pré-temporada (não sei as regras do hífen, já fiz vestibular, beijo no ombro). então me permiti uma aproximação de quatro semanas pra cada uma desses intervalos. Naturalmente as quatro últimas semanas de um ano e as quatro primeiras do próximo, Dezembro e Janeiro, portanto. Nessa onda foram-se mais oito semanas, alguém tá contando? pois é, 38 semanas de liga, mais 8 semanas de "intervalo" dá 46, pra 52, como diria minha mãe, 6. aí fudeu, por falta de uma palavra melhor. como é que organiza um campeonato decente com 6 semanas?? lembre-se que falo aqui de calendário mínimo. a resposta é, não faz.

Minha primeira reflexão foi que era complicado. aí depois vi que era simples, era só matemática. E mais, Marcelão Miseravão Truqueiro, O Mito, Sant'ana, aka Presida largou na ESPN, estadual dá acesso ao regional. matou a charada. Acertou, miserável! o que a gente tem que ter na cabeça é: Tem que ter Nordestão, fodam-se. mas não dá pra fazer em seis datas. nem em doze (quarta e domingo). Então, pra o estadual caber no calendário com relativa folga, tem que rolar um encolhimento do Brasileirão.

Aí uma galera já parou de ler porque tá grande pá porra e eu disse que o brasileirão tinha que ter 18 clubes. Bichoooo, escute Presida, ele largou, futebol é um negócio, e esse negócio vai ser melhor assim. Antes que alguém evoque a Europa contra, o alemão tem dezoito, e uma ruma lá tem menos que 20.

Então faça a conta aí, 18 Clubes, 34 datas. mais oito do "intervalo", 42, pra 52, 10. dá pra fazer um campeonato decente com dez datas? não. resolveu nada então! calma miséra. a gente tem as quartas feiras ainda. a pergunta agora é, qual o mínimo de jogos que um clube deve fazer pra se pretender rentável o ano todo. A LL (Lampião's League) tem 12 datas. Dessas doze, apenas seis devem compor o calendário mínimo (fase de grupos miséra). Com duas quartas feiras estrategicamente escolhidas, pra não chocar com Copa do Brasil, Libertadores ou o escambal, dá pra fazer a LL. mas aí, os clubes eliminados na fase de grupos (normalmente os com menor orçamento) teriam um calendário mínimo de 40 jogos. Talvez esteja bom pra uma primeira tentativa, mas eu sou um pouco mais radical e propenso a ódio alheio.

A LL tem que ser no formato de liga, duas divisões, os estaduais dão acesso à segunda. Antes que alguém fale alguma merda aí, vai ter mata-mata, espere. a primeira divisão deve ter 11 clubes. É onze mesmo, escrevi errado não. Onze clubes, jogos só de ida, sorteados, os dois últimos caem e os quatro primeiros fazem um quadrangular. Primeiro pega o quarto, terceiro e segundo se enfrentam, vantagem dos primeiros blá, blá, blá. Agora se segure na cadeira. Final em jogo Único! local decidido por sorteio antes do campeonato começar. Final no Sábado pra todo mundo sair embriagado nas cidades gastando o dinheiro que não têm quando for campeão. estádio dividido meio a meio, ó que festa da porra! misericórdia.

Sim, voltando ao assunto, se o Batráquio se fuder que nem o Vice-BA esse ano, mesmo assim vai jogar 44 vezes. Sim, faça a conta aí, são dez jogos da LL mais 34 do brasileirão. isso se não jogar sequer uma partida da Copa do Brasil, como a CBR tem gato e cachorro, bote aí mais um jogo. 45 jogos. tá de bom tamanho pro calendário mínimo. percebam que se o pião for pra final da LL, vai jogar três jogos a mais, "apenas", completando 47 (ou 48).

ia entrar na Libertadores e Sul-americana mas deu preguiça. ôtu dia. beijos

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Dois Olhos Castanhos

Sem palavras
se houvesse uma gota,
faria aquele som largo
caindo num mar azul profundo
com ondas circulares.
perfeitamente simétrico,
mas tudo muito lento.

Não havia vento
se houvese seria lento
não precisaria ser suave
carregou e poderia carregar
intenso, pouco denso
a verdade é que nem lembro

Pra lembrar de algo teria
que inventar milhares de fantasias
teria que reconstruir um cenário
colocar pingos e galhos
um cheiro, igualmente impreciso seria

Mas tudo que lembro são seus olhos
um mar de mel cristalizado
espelhos ao fundo e uma luz
uma luz mágica, luz verdadeira
de verdadeira estrela
que atrai pelo universo que encerra
pela densidade infinita de polos
que boiam em minha frente
enquanto tento dormir

havia um sorriso também.
lindo.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Tudo em Mim

Já fiz tudo pra me convencer
me dizer que não vale mais
fiz de tudo, criei meias mentiras
revirei-te do avesso, queimei os jornais
já ousei mentir contra o tempo
matei as memórias dos dias felizes
pra fazer sair de uma vez o teu gosto de mim

Tudo em mim te chama de volta
tudo ao meu redor grita por ti
afinal, não é mais a gente que decide
o caminho dum corpo que insiste
em um coração que não é mais seu

Nossos planos, caminhos, desvios
ficaram no tempo, perdidos no espaço
Nossos sonhos, pouquinho a pouquinho
Perdem as cores, a graça, o brilho
Das lembranças de nossa família
escorre o amargo de nunca ter sido
Eu vejo morrer pouco a pouco uma parte de mim

Tudo em mim quer te trazer de volta
tudo à minha volta clama por ti
tudo em mim quer te trazer comigo
mas tudo que consigo
é um pedaço de sonho que ainda não se foi.

domingo, 21 de dezembro de 2014

Emoldurando Amores

Sob um céu claro e azul
Se estende um tapete verde musgo
Grandes árvores e arbustos emolduram o dia lindo
completando o céu estão os algodões

Sobre a grama estendido,
um grande xadrez vermelho e branco
um suquinho de canudo e um sorriso de moleque
marcam a felicidade do pequeno

À direita está a mãe
grandes dentes gargalhando com prazer
um dia como esse não acontece todo tempo
e ela sabe, tem que ter tudo dali
O pai de pé contempla o seu sonho de menino
seus amores transformados carne e osso

mas a tela não existe é uma sombra do passado
um futuro de um passado que não mais será
Nem em tela nem em metal e nem em papel
nem com óleo, com acrílico ou carvão
a vida custa os sonhos e deles se alimenta
não é justa, não espera, não pede perdão
É um incêndio permanente de tudo que não pode
nem o tempo está livre, tudo queima
some no ar

e a pintura perde a cor,
desbotando volta ao cinza
desfazendo-se em chuva de milhares de pedrinhas
do pó de estrelas do qual foi criado.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Marés

tão perto, tão perto
que é fechar os olhos
pra te ver passar.

tão pertinho que
quase choro só de contemplar
a maravilha desse caminhar
que quase esqueço não,
não posso estar tão perto

tão perto, tão perto
que sinto sua pele
me arrepiar
que o seu cheiro
continua a embriagar

tão pertinho que
se eu me distraio pego a curva errada
vou bater na porta de sua casa
e dizer que não,
não quero estar tão longe

tão longe, tão longe
que nossos erros já ficaram para trás
que de tão velhas as mágoas morrem nos umbrais
que de um do outro não necessitamos mais

não sei
se é magia ou coisas sobrenaturais
só sei
que é a vontade que reúne os casais
e de um do outro não necessitamos mais


quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Campos e a herança dos Neves

Quando eu era guri, uma distinta guerreira chamada Lucinha travava a batalha de tomar conta de três meninos um tanto quanto agitados. Das memórias que tenho da convivência com ela ficam os discos de Julio Iglesias quando retornava da escola, as broncas sobre o quanto eu demorava pra almoçar e uma frase de conteúdo político que se repetia com alguma frequência: "Se Tancredo Neves tivesse vivo, o brasil seria diferente"

Coloquei aspas mas a frase não era exatamente essa, mas o espírito era esse. Algumas aulas de história depois, percebi que meus conhecimentos sobre a história desse messias-que-não-foi eram, no mínimo escassos. foi então que fui lá no Wikipedia e vi que ele morreu velho. Nasceu no ano do Botafogo, que tá morrendo por agora, e morreu no ano em que nasci, alguns meses antes. Devo adicionar, velho pra época, já que meu glorioso avô nasceu lá e morreu em 2001 com 97 anos (se as contas dele tiverem algum crédito).

Voltando ao assunto em pauta, dei uma olhada na carreira de tancredo. Ministro de Vargas, Deputado federal e secretário de governo em Minas, Primeiro Ministro naquele hiato parlamentarista depois da renúncia de Jânio, MDB, PP (Partido Popular) e Governador de Minas Pelo PMDB. Apoiado por Ulysses Guimarães Tancredo chega à presidência da República por voto indireto como representante da oposição ao regime que caía devagarziiiinho...

A primeira coisa que me ocorre é que Diverticulite,uma doença que, segundo o Wikipedia, ficou "famosa no Brasil" por ter causado a morte de Tancredo, é uma doença completamente desconhecida para mim (apesar das aulas de História), a segunda é que entre uma Diverticulite aos 75 anos e um desastre de avião aos 49 tem tanta coisa que da até preguiça de contar. a terceira é que pra um camarada jovem, Campos tem um bom currículo. Ministro de Lula, Deputado Federal e Estadual por Pernambuco e Governador desse estado.

O Curioso está naquela velha presença que marca a ausência, ou a ausência que marca a presença, nunca sei direito; o que Campos e Neves, o Tancredo, compartilham é uma fantasia irredutível. muitos acreditavam Campos como um candidato "limpo", livre dessa dicotomia suja entre PT e PSDB, um insatisfeito. Campos agora não vai poder perder a eleição de outubro e deve ficar no imaginário, pelo menos até o fim desse ano, ao lado de Tancredo, sendo um dos dois messias-que-não-foram, mesmo sem terem sido postos à prova da vontade do Povo.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Impreciso

Doce o mar, o barco
Flutua no leite à primavera
nos tão doces contornos
à suave e profunda brisa

Doce o mar, a vela
Se infla e se dobra
Ao sabor e ritmo dos cordéis
se embalando por um mergulho

Doce o mar, o canto
Das sereias nos recifes
dos pássaros no cais
do rouco canto da garganta seca

Doce o mar, o destino
dos bravos e tolos
dos que muito se dão
e dos que não

ao medo da fome
ao medo da cura
ao medo do sonho

doce o mar, navegar